segunda-feira, 24 de maio de 2010

XXVI

Exijo um tempo diferenciado
sem as dores de atores
sem o medo que segue as mãos humanas
com momentos incompreendidos
e sombras sinuosas.

Exijo os amores gritando
nus nas orgias,
sem pressa nos sonhos
e que as pessoas parem
para viver.

Exijo o mundo pleno nas ilusões
as alteridades solitárias em silencio
um fogo intenso nas paixões.
um movimento mudo aos desejos
o orgasmo sem ressaca
cheio de turbulências aquecidas.

Exijo noites fortes e profundas
o céu azulado e espelhado de estrelas
a lua cheia de mistérios
feitiços nas preces dos bruxos
a natureza intacta na sabedoria
e os homens perdidos nas metamorfoses.

Exijo mesmo que seja longo o orgasmo
que os prazeres sejam indizíveis
a selvageria estendida aos olhos
as nuvens derretidas
num sorriso de salivas.

Exijo tudo sem pressa
o coração na volúpia da emoção
Lentidões de conquistas
destruídas em loucuras
e entorpecidas nos delírios
junto com o riso da chuva escorrido ao Mar.

Exijo os versos exagerados
as distrações momentâneas da noite
o grito nu do mundo
os animais no homem
se revoltando ao desfiladeiro da civilização
e a pluma voando na leveza do ar

Exijo os moralistas distantes
pessoas pervertidas nos seus desesperos
o solidão desabando ao mundo
como quem desliza na ventura
com sopros feitos de caminhos.

4 comentários:

Dreamer disse...

ÊEE Ximba! Aqui quem fala é a Marcela, lá da unesp...boa poesia...tô te seguindo... Bjo!

Cléo disse...

.... legal ... seguimos e caminhamos ... valeu pelo blog ... xD
um beijo

solambro disse...

Ei queridas valeu pelo o apoio e o incentivo...Saudades de vcs e daquele pank barbudo..rsrs..até mais...

darnisson disse...

hummmm este poema!!!! claro tambem exije comentários!!!! gostei muito ximba..!

Exijo os amores gritando
nus nas orgias,
sem preça nos sonhos
e que as pessoas parem
para viver.

Darnisson Viana

Karalho! não pare de escrever...bom! muito bom!botequeiro e poeteiro é isso aí mano..rs abraço Prometo ou melhor não prometo, simplismente apareço.